Sustentabilidade alimentar e ambiental: ações desenvolvidas em unidades de alimentação e nutrição

Authors

  • Marta Nichele
  • Ester Ximendes Dias de Oliveira
  • Elisa de Andrade
  • Paula Fernanda Jung dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.55905/rcssv12n3-010

Keywords:

meio ambiente, restaurantes, alimentação

Abstract

Introdução: O desenvolvimento sustentável implica em atender as necessidades presentes sem comprometer as necessidades futuras. Dentro desse contexto, as Unidades de Alimentação e Nutrição (UAN) devem adotar práticas que preservem e diminuam os danos ao ambiente. Este trabalho teve como objetivo avaliar ações de sustentabilidade alimentar e ambiental desenvolvidas em UAN em um município de Santa Catarina. Metodologia: Estudo de caso exploratório descritivo de caráter qualitativo. Os dados foram coletados através de um questionário semiestruturado sobre as práticas de sustentabilidade alimentar e ambiental realizadas em sete restaurantes. Resultados: A maioria dos entrevistados orienta os colaboradores sobre o monitoramento do desperdício de alimentos, economia de água, energia e separação de lixo. Alguns restaurantes utilizam água da chuva para os sanitários, lâmpadas tipo led para a iluminação e contam com alarme nas câmaras frias. A coleta de lixo e o óleo residual são recolhidos por empresa terceirizada. Os gestores dão prioridade aos alimentos regionais e sazonais, adquirindo produtos da agricultura familiar. Conclusão: Tais ações têm reflexos positivos e colaboram com a sustentabilidade alimentar, além de reduzirem os impactos ambientais.

References

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 15527: Água de chuva: aproveitamento de cobertura em áreas urbanas para fins não potáveis – requisitos. Rio de Janeiro: ABNT, 2007. 12 p.

ALMEIDA, Jaqueline Lima de; SANTANA, Kayte Barbosa de; MENEZES, Maria Balbina de Carvalho. Sustentabilidade em unidades de alimentação e nutrição. In: ENCONTRO INTERNACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES, 8.; FÓRUM PERMANENTE DE INOVAÇÃO EDUCACIONAL, 9., 2015, Aracaju. Anais... Aracaju: Universidade Tiradentes, 2015. p. 1-15.

AMOSC – Associação dos Municípios do Oeste de Santa Catarina. Coleta seletiva de Chapecó teve aumento de 36% no total de resíduos recolhidos. Chapecó, 2015. Disponível em: <https://www.amosc.org.br/noticias/index/ver/codMapaItem/42484/codNoticia/213205>. Acesso em: 6 jul. 2019.

ARAÚJO Elicimone Martins Lopes; CARVALHO, Ana Clara Martins e Silva. Sustentabilidade e geração de resíduos em uma Unidade de Alimentação e Nutrição da cidade de Goiânia-GO. Demetra: Alimentação, Nutrição & Saúde, Rio de Janeiro, v. 10, n. 4, p. 775-796, 2015.

AUGUSTINI, Vivian Cristina de Menezes et al. Avaliação do índice de resto-ingesta e sobras em Unidade de Alimentação e Nutrição (UAN) de uma empresa metalúrgica na cidade de Piracicaba/SP. Revista Simbio-Logias, Botucatu, v. 1, n. 1, p. 99-110, maio 2008.

BARTHICHOTO et al. Responsabilidade ambiental: perfil das práticas de sustentabilidade desenvolvidas em Unidades Produtoras de Refeições do bairro de Higienópolis, município de São Paulo. Qualitas Revista Eletrônica, Campina Grande, v. 14, n. 1, p. 1-12, 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2012.

______. Guia Alimentar para a População Brasileira. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2014. 210 p.

______. Ministério do Desenvolvimento Agrário. Secretaria da Agricultura Familiar. Lei n. 11.326, de 24 de julho de 2006. Estabelece as diretrizes para a formulação da Política Nacional da Agricultura Familiar e Empreendimentos Familiares Rurais. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 25 jul. 2006.

BUSATO, Maria Assunta; STUMM, Carla Anita; NOVELLO, Neila Cristiane. Descarte de óleo de cozinha e gordura vegetal em restaurantes comerciais. Revista Ciências do Ambiente On-Line, Campinas, v. 10, n. 2, p. 17-23, dez. 2014.

CARVALHO, Nathália Leal; BARCELLOS, Afonso Lopes; HENTZ, Paulo. Tecnologias para reutilização de águas residuárias. Revista Gestão e Desenvolvimento em Contexto, Cruz Alta, v. 2, n. 2, ed. Spe., p. 16-31, 2014.

CMMAD – Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Nosso futuro comum. Tradução de Our Common Future. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1991.

DIAS, Natalia Araújo; OLIVEIRA, Ana Lívia de. Sustentabilidade nas Unidades de Alimentação e Nutrição: desafios para o nutricionista no século XXI. Higiene Alimentar, São Paulo, v. 30, n. 254-255, p. 26-31, mar./abr. 2016.

DOMINGUES, Cristiane Ferreira Silva et al. Geração de resíduos sólidos orgânicos em um restaurante universitário de São Paulo/SP. Revista Meio Ambiente e Sustentabilidade, Curitiba, v. 10, n. 5, p. 58-73, jan./maio 2016.

GONÇALVES, Luiza Carril et al. Sustentabilidade ambiental em restaurantes comerciais da zona central de Pelotas-RS. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental, Florianópolis, v. 7, n. 2, p. 525-539, abr./jun. 2018.

GONZÁLEZ, Adrian Rui Angela; BEZERRA, Priscilla Quênia Muniz; MATOS, Márcia Filgueiras Rebelo de. Desperdício de alimentos em um restaurante comercial de Salvador (BA): características, avaliação e intervenção sobre as principais causas. Revista Brasileira de Tecnologia Agroindustrial, Ponta Grossa, v. 11, n. 2, p. 2523-2541, jul./dez. 2017.

LAURINDO, Tereza Raquel; RIBEIRO, Karina Antero Rosa. Aproveitamento integral de alimentos. Interciência & Sociedade, Mogi Guaçu, v. 3, n. 2, p. 17-26, 2014.

MACHADO, Carla Carolina Batista et al. Avaliação do resto-ingesta de unidade de alimentação e nutrição institucional de Anápolis-GO. Ensaio e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde, Belo Horizonte, v. 16, n. 6, p. 151-162, 2012.

MENDONÇA, Fabricio; GONÇALVES, Guilherme Vasconcelos; MACHADO, Erik Vilaça. Metodologia de custeio para restaurantes self-service. In: CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO, 11., 2015, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: Inovarse, 2015. p. 1-16.

NEVES, Marcos Fava; CASTRO, Luciano Thomé (Org.). Agricultura integrada: inserindo pequenos produtores da maneira sustentável em modernas cadeias produtivas. São Paulo: Atlas, 2010.

OLIVEIRA, Jefferson Menezes de et al. Gestão de pessoas e sustentabilidade: construindo caminhos por meio das práticas de capacitação. Revista de Administração da UFSM, Santa Maria, v. 10, ed. Spe., p. 108-126, ago. 2017.

POSPISCHEK, Verena Saccochi; SPINELLI, Mônica Glória Neumann; MATIAS, Andrea Carvalheiro Guerra. Avaliação de ações de sustentabilidade ambiental em restaurantes comerciais localizados no município de São Paulo. Demetra: Alimentação, Nutrição & Saúde, Rio de Janeiro, v. 9, n. 2, p. 595-611, 2014.

RABELO, Natália de Miranda Luciano; ALVES, Thereza Cristina Utsunomiya. Avaliação do percentual de resto-ingestão e sobra alimentar em uma unidade de alimentação e nutrição institucional. Revista Brasileira de Tecnologia Agroindustrial, Ponta Grossa, v. 10, n. 1, p. 2039-2052, jan./jun. 2016.

SANTOS, Talía Simões dos et al. Análise da eficiência energética, ambiental e econômica entre lâmpadas de LED e convencionais. Engenharia Sanitária e Ambiental, Rio de Janeiro, v. 20, n. 4, p. 595-602, out./dez. 2015.

SÃO PAULO. Estado. Centro de Vigilância Sanitária. Portaria CVS 5, de 9 de abril de 2013. Regulamento técnico sobre boas práticas para estabelecimentos comerciais de alimentos e para serviços de alimentação e o roteiro de inspeção. Diário Oficial [do] Estado de São Paulo, São Paulo, SP, 19 abr. 2013. Seção 1, p. 32-35.

SARTORI, Simone; LATRÔNICO, Fernanda; CAMPOS, Lucila Maria de Souza. Sustentabilidade e desenvolvimento sustentável: uma taxonomia no campo da literatura. Revista Ambiente e Sociedade, São Paulo, v. 17, n. 1, p. 1-22, jan./mar. 2014.

SATO, Geni Satiko; MARTINS, Vagner Azarias; BUENO, Carlos Roberto Ferreira. Uma análise comparativa dos preços entre hortaliças e frutas processadas e convencionais comercializadas no município de São Paulo em 2006. Informações Econômicas, São Paulo, v. 38, n. 6, p. 49-58, jun. 2008.

SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Minha empresa sustentável: bares e restaurantes. Cuiabá: Centro Sebrae de Sustentabilidade, 2016. 32 p. Disponível em: <http://sustentabilidade.sebrae.com.br/Sustentabilidade/Para%20sua%20empresa/Publica%C3%A7%C3%B5es/Bares_Rests_ONLINE.pdf>. Acesso em: 6 jul. 2019.

SIHRBASC – Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Chapecó. Associados. Chapecó, 2017. Disponível em: <http://www.cidadechapeco.com.br/>. Acesso em: 19 out. 2019.

SOUZA, Celso Correia de et al. Análise de sustentabilidade em assentamentos rurais nas dimensões econômica, social e ambiental. Revista Espacios, Caracas, v. 38, n. 26, p. 1-11, 2017.

SOUZA, Maria do Carmo Barbosa Maciel; MELLO, Ivani Souza. Resíduos sólidos: coleta seletiva estímulo para o aumento da reciclagem e melhoria de renda dos catadores. Revista Eletrônica Gestão & Saúde, Brasília, v. 6, n. 3, p. 2959-2981, 2015.

STOFFEL, Jaime Antonio; COLOGNESE, Silvio Antonio; SILVA, Roselaine Navarro Barrinha da. Sustentabilidade na agricultura familiar e as formas de organização produtivas em contextos locais. Revista Tempo da Ciência, Toledo, v. 21, n. 42, p. 53-67, jun./dez. 2014.

STRASBURG, Virgílio José; JAHNO, Vanusca Dalosto. Paradigmas das práticas de gestão ambiental no segmento de produção de refeições no Brasil. Engenharia Sanitária e Ambiental, Rio de Janeiro, v. 22, n. 1, p. 3-12, jan./fev. 2017.

Downloads

Published

2023-08-10

How to Cite

Nichele, M., de Oliveira, E. X. D., de Andrade, E., & dos Santos, P. F. J. (2023). Sustentabilidade alimentar e ambiental: ações desenvolvidas em unidades de alimentação e nutrição. Revista Caribeña De Ciencias Sociales, 12(3), 1132–1146. https://doi.org/10.55905/rcssv12n3-010

Issue

Section

Articles